Longo Prazo abuso de Álcool PODE causar

Longo Prazo abuso de Álcool PODE causar

Longo Prazo abuso de Álcool PODE causar

Joan Mathews-Larson. Ph.D. Fundada HRC Apos o Suicídio de Seu filho adolescente Apos o Tratamento Padrão de 12 Passos. Fora de Sua Busca POR Respostas Mais de 30 anos, Ela foi pioneira no Mais Bem sucedido e Abordagem Científica Disponível Hoje. Como taxas de Recuperação em pares Publicada Estudos Review Journal mostram 74% abstinentes e Livre de Desejos e humores instáveis ​​Três ano apos o treatment! Não Há Outros Tratamentos Atuais igualar essas taxas de Sucesso.

Tratamento do alcoolismo com Restauração bioquímica Como hum Componente principais

Joan Mathews-Larson, Ph.D. e Robert A. Parker, M.Sc.

Centro de Recuperação Health, Inc. Minneapolis, MN

Revista Internacional de Pesquisa biossociais

Volume 9 (1): 92-106, 1987

Publicação Office- apartado Box 1174, Tacoma WA 98,401-1,174 EUA

Publicado semestralmente. E Proibida a Reprodução sem Permissão.

Copyright © 1987 International Journal of Biosocial Research. TODOS DIREITOS OS reservados

Abstrato

Este Estudo relata Sobre a taxa de sobriedade (n = 100) patients alcoólicas expostas a hum Programa de Tratamento ambulatorial de SEIS Semanas experimental concentrando-se na Restauração bioquímica combinada com uma terapia racional-emotiva. Sessenta POR cento dos individuos tinham falhado UM OU Mais Programa (s) de Tratamento do Álcool Antes de Participar Neste Estudo. Oitenta e cinco POR cento dos individuos relatou-se Como “abstinentes e stable” AOS 12 e 42 meses apos o treatment. Deste numero, 60% ERAM continuamente abstinentes e stable Apos um CONCLUSÃO fazer Programa, 18% tiveram hum breve Período de uso, mas retomou o status de abstinentes. De 15% beber sem acompanhamento, cinco encaixar hum Padrão de consumo “social”, enquanto 10% relataram beber regularmente.

Introdução

Para complicar ESSA Questão AINDA São Mais Diversos RELATOS DE Vários síntomas PRESENTES POR Muito tempo DEPOIS Alcoólicos tinham AINDA SIDO Tratados permaneceram abstinentes. [14-16] Estes síntomas incluem: Ansiedade. Depressão, tremores, perturbações da Memória, e “Sensibilidade”. interpessoal Ao comentar, Gerard e Saenger [14] afirmou que “… NÓS frequentemente E surpreendido Ao Notar Como a abstinência prolongada PODE acompanhar os tais perturbações mentais sepulturas e desajustes.”

Uma série de Descobertas Recentes Que ligam OS síntomas emocionais a neuroquímica Alterado e Estados de Deficiência de Nutrientes sugerem Que Uma ênfase em Técnicas bioquímicas PODE Ser Eficaz em Reverter MUITOS DOS síntomas anteriormente Nao gerenciados. [17-20] Mais de trinta ano Atrás, Dr. Roger Williams na Universidade do Texas, salientou o Efeito de sedimentação hum aminoácido, a glutamina, TEM Sobre os Desejos alcoólatras EM. [21] O etanol prejudica o transporte de Outro aminoácido (triptofano) PARA O Cérebro, afetando OS níveis de serotonina e desempenhando hum papel-chave na Depressão, apetite, Agitação, e Outros Estados “humor”. [22] Vários Estudos Tem demonstrado Que o etanol PODE perturbar a Absorção aminoácido. [23] Um Outro aminoácido, a tirosina, um precursor da norepinefrina, e triptofano o precursor da serotonina, PODEM desempenhar Papéis IMPORTANTES na Depressão. [24]

sensibilidades Alimentares, Uma área MUITO MAIS Complexa e controversa, were identificados Como hum Possível Fator contribuinte em ansias de Álcool. [31] Exposição de Produtos Alimentares dos Alcoólicos um SEUS “alérgenos” Alimentos produziu supostamente fortes Desejos fisiológicos PARA O Álcool em individuos de teste. [32] MUITOS Desses Alimentos alérgicas São teorizados parágrafo Produzir Reações cerebrais that PODEM causar Mudanças mensuráveis ​​NAS síntomas “emocionais”. Uma Pesquisa Mais Adicional E obviamente Necessário no Campo da Reabilitação de alcoolismo parágrafo Confirmar ESTA Teoria.

A População de Estudo

O Estudo foi Realizado no Centro de Recuperação Health, Inc. hum Ambulatório privado em Minneapolis, Minnesota. Dos 300 Clientes (Seleccionados atraves de hum “todo-outro” Padrão) observadas Entre 1981-1984, a 100 were acompanhados regularmente. Os Únicos criterios parágrafo a rejeição de hum Caso foi visto (a) Dados UMA incompletos sem Arquivo de Um Cliente, or (b) USO indevido regulares de Uma droga Não-Álcool. como idades dos Clientes variou de 17 a 80 ano. Sessenta e Oito DOS 100 Sujeitos do sexo masculino. Um Cliente NÃO PODE Ser contatado em SEIS meses de follow-up, enquanto cinco NÃO poderia Ser alcançado em finais do seguimento.

Métodos

O Programa de terapia consistiu semanal em reunioes Diarias fazer grupo, de Uma hora sessões semanais Privadas com hum conselheiro de bioquímica, e sessões semanais semelhantes com hum conselheiro Psicológico. Membros OS da Família assistiu a Uma Reunião do Grupo de Família de Cada semana e Uma palestra semanal, Além de sessões indivíduos, Necessário Conforme. Aconselhamento envolveu Uma Abordagem racional-emotiva projetado parágrafo Ajudar OS Clientes um Compreender e Intervir Nos Padrões de Pensamento Específicos e auto-fala. Se deixada sem interrupção, ISSO poderia Levar a abandonar o Seu novo estilo de vida e eventual Retomada de beber. (ESTA, aliás, provou Ser o Padrão Para aqueles Que voltou a beber.)

Um Programa de Exercício Necessário foi regular, incluíndo Quatro periodos de meia hora POR semana de Atividade Física-caminhar, correr, Esportes, etc. Embora este foi Mínimo, permitida Mais época.

O Padrão Geral de Recuperação mostrou Alguma estabilização Durante As Três Primeiras Semanas, com OS Desejos cedendo, o estado de alerta aumentando, e humores se Tornando Menos lábil, e Tomada de decisão melhorando. Estas Indicações sugerido Progresso. sessões de Aconselhamento Tornou-se Mais Produtivo. Para a maioria dos Clientes, não final de SEIS Semanas de Perda de auto-relato de ansias de Álcool e Redução significativa de Outros síntomas previos sugeriram Clientes estavam Prontos parágrafo descarga e Menos Assistência ambulatorial. Um Programa de Pós-Tratamento de SEIS meses, Que consiste do EM reunioes semanais voluntárias, contribuíram parágrafo Ajudar o Seu novo estilo de vida.

proliferação de Candida Albicans sistêmica Uma Tornou-se Questão de Preocupação Durante este Estudo. A proliferação da albicans levedura C. E suposto ter Uma Variedade de Efeitos adversos Sobre o FUNCIONAMENTO fisiológico, incluíndo Imunidade suprimida (that supostamente aumenta a chances de Reações alérgicas a Alimentos e substancias Químicas Que ocorrem). Alimentos de levedura, determinados Açúcares e Álcool São requeridas parágrafo exacerbar OS síntomas when este Problema Micológica ESTÁ Presente. Mycostatin, hum Medicamento antifúngico, e Uma dieta “sem fermento” e hidratos de carbono modificado foi recomendada when C. albicans era Suspeito. [37-39] in each Caso, um médico Realizado diagnóstico e Tratamento de Suspeita de Infecção POR C. albicans.

A o Acompanhamento Equipe fez, atraves de entrevista POR telefone. Na maioria dos Casos, o Cliente foi Entrevistado, ao Tempo MESMO em varios hum Membro da Família Próximo respondeu. Por causa de Uma Relação Pessoal-Cliente estabelecido e percepções do Cliente Sobre a Natureza fisiológica fazer Seu alcoolismo, Acredita-se that como Respostas were honesto é Preciso. Perguntas Feitas Padrões cobertos Atuais Uso de Produtos Químicos, o estatuto de Problemas originalmente Associados com o Uso de químicos, Manutenção de quaisquer revisões da dieta (Exemplo POR, cafeína, sacarose, se uso de nicotina, a suplementação nutricional, Exercício. Qualidade das Actividades fóruns , e Suporte Pessoal). Respostas sugerindo Uma Regressão AOS Hábitos de vida Anteriores solicitado entrevistadores parágrafo Investigar Mais Sobre a Estabilidade da SUA abstinência.

Resultados

Dos 100 individuos, 98 ERAM conhecidos Como Tendo, cabelo Menos, um em relaçao alcoólico, com 48 Relatórios alcoolismo em Ambos OS Lados da SUA Família. adoptadas Dois were; Pais Naturais desconhecidos Eram. Uma série de Outros Estudos (de Gêmeos, e Outros adotados) apresentam Resultados semelhantes, sugerindo hum forte Componente genético PARA O alcoolismo. [40-43]

Sessenta Clientes tinha SIDO atraves de hum UO Mais Programas de Tratamento convencionais (acumulando hum de total de 98 between enguias). Destes 60, 12 tinham entrado abstinentes, e deu a Depressão Como A Razão Pela Qual enguias Novamente procuraram Tratamento; SEIS suicida ERAM. relatados tambem were ansias sepulturas alcool, crises de choro, alterações de humor bruscas e Frequentes, Ansiedade, Dores de Cabeça tensionais, e exaustão.

Enquanto MUITOS ERAM alcoólatras Longo Prazo, OS indícios de Danos nenhuma Comum Fígado NÃO era; APENAS dez tiveram Leituras TGO Elevados; hum hum tinha alto bilirrubina; e SEIS tinham Leituras de fosfatase alcalina Anormais. Altos níveis de histamina estavam PRESENTES EM 12 Clientes, enquanto Três tinham Baixos níveis de histamina.

Evidência de alergia Alimentar estava Presente em 73% Testado (n = 100). A maioria dos Alimentos Comuns were: Trigo (58%), leite de vaca (50%), uma carne (22%), milho (22%), ovos de galinha (14%), e amendoim (14%).

De 80 Clientes Testado, sensibilidades Químicas estavam PRESENTES em 70% Hidrocarbonetos e OS (e Isto É, gás natural, gasolina, Produtos de petróleo, etc), EM 84% Clientes Testado. Sensibilidade formaldeído foi Encontrado EM 30% DOS individuos, enquanto fenol 29% ERAM sensíveis. Vinte e Tres Por cento reagiram AOS Cigarros. Apos uma Exposição a QUALQUÉR das sensibilidades Acima, observado OU síntomas relatados incluiu Uma série de Reações sepulturas: uma súbita Raiva; explodindo em lágrimas; adormecendo; e, Uma incapacidade de Falar OU Pensar claramente. Doze mudaram ocupações Como resultado das CONCLUSÕES fazer teste, enquanto Alguns TEM modificado Seu ambiente para Ser Mais Livre de fumos “intoxicantes”. Nenhum destes Temas TEM supostamente recaída, embora onze tinha SIDO anteriormente não convencional treatment. OS síntomas observados Durante o teste parágrafo Produtos Alimentares e sensibilidades Químicas encontram-se resumidos na Tabela 1.

QUANDO Testado parágrafo Food and Chemical SensitivitiesPercentage Que apresentem síntomas

AO Eliminar ESSES estressores, Os síntomas de Duração ano were supostamente “ido”. MUITOS Clientes comentou that NÃO conseguia se Lembrar de such Estados de alerta e Sentimentos de “Estabilidade”.

Os síntomas de C. albicans proliferação estavam PRESENTES em 25 individuos. Anormalmente Elevada Depressão e síntomas de esquizofrenia estavam PRESENTES em 71% paranoicos dos individuos com 52% Apresentando síntomas (Teste de diagnóstico Hoffer-Osmond [HOD]). No momento da alta, OS síntomas were reduzidos, mas NÃO Eliminados. O Tratamento Para a C. albicans requer Tratamento prolongado Para Além do Programa de Tratamento de SEIS Semanas. Dos 25 Clientes com C. albicans Infecções, 20 tiveram Tratamentos Anteriores, tres estavam lutando sem Sucesso em Alcoólicos Anônimos (AA), e, 21 estavam abstinentes Ao final, fazer seguimento.

Mossberg relataram síntomas EM de Todos os patients de Quatro a Oito Semanas apos o Tratamento convencional, incluíndo: Ansiedade, insônia, tremores, SACODE, tonturas, Depressão, Pensamento cognitivo e Memória fraca. [15] Em Comparação, A Nossa População de Estudo em SEIS Semanas relataram cessos síntomas da Seguinte forma: 89% – livre de Ansiedade; 94% – sem Problemas de sono; 98% – sem tremores OU tremores; 96% – livre de tontura; 95% Livre -depression; e, 89% – Recuperação da Memória normal.

Dieta e estilo de Vida Patterns

Carboidratos na Dieta de Açúcar / Produtos refinados:

Café Diário USO:

Cigarro Diário USO:

Menos de 1 Pacote

Número de individuos

Pressao arterial Elevada:

Número de individuos

Estilo de vida desempenha hum papel essencial na estabilização do Cérebro e do Corpo química. Como alterações da Amostra encontram-se resumidos na Tabela 2. Os Resultados de SEIS meses de seguimento Para o grupo Neste Estudo (99) contactado estao resumidos nd Tabela 3. A Manutenção Mudança de vida é resumido na Tabela 4.

Seis meses de follow-up Uso de Álcool

abstinente & Estável

92 (7 ERAM DEPOIS de hum breve Episódio)

NÃO LOCALIZADO PoDE Ser

Seis meses Estilo de vida Mudança Manutenção

Estilo de vida: Sem Álcool, Açúcar, nicotina, cafeína, alergias Alimentos, USO contínuo de Suplementos

Mantendo com Sucesso como Mudanças de estilo de vida

Abstinentes Mas Diet Off & Nutrientes

Para um & Estilo da vida (abstinentes APOS deslizamentos)

Bebendo & Off Diet / Nutrientes

NÃO LOCALIZADO PoDE Ser

Os Resultados de Acompanhamento a Longo Prazo São resumidos NAS Tabelas 5 e 6. Na Época do Estudo, o ritmo decorrido desde a Alta variou de hum a Três ano e Meio.

Longo Prazo 1 a 3,5 ano de Acompanhamento

81 Abstinent & Estável:

continuamente Abstinent & Estável

Abstinentes APOS Breve Uso

Abstinente APOS UM Recuo (4 were OS Primeiros Clientes com Candida, diagnosticados Nao há Tratamento de Primeiro)

usando ocasionalmente & Melhorado

Usando Regularmente, nenhuma Melhoria (8 com alergias sepulturas um Alimentos e / ou Produtos Químicos. Todos tinham voltado PARA O Açúcar, cafeína, nicotina e substancias de alergia Antes de recidiva)

NÃO LOCALIZADO PoDE Ser

limitações

A Natureza do Nosso Estudo Exige contenção do Leitor na extrapolação Pará Outros Programas de Tratamento do alcoolismo. O Pessoal do Centro foi treinado na Combinação de Ambas como terapias convencionais psicoterapêuticos com a Restauração bioquímica. Poucos Programas de Tratamento do alcoolismo ter Recebido este tipo de Treinamento. Nossa População de Estudo NÃO foi Selecionada aleatoriamente, Nem havia hum grupo de Controlo recebendo terapia racional-emotiva POR si assim, da MESMA Equipe.

O auto-relato e Um Método Muito Menos confiavel Para avaliar a abstinência fazer that o Desejado. Os Exames de sangue Que Medem reacções enzimáticas poderia ter verificado auto-RELATOS DE abstinência, mas Não foram utilizados. Uma vez that such Procedimentos Não foram Empregados o Leitor de e lembrado de that como taxas de abstinência São auto-relatados, e NÃO bioquimicamente verificada.

autoridades Algumas em alcoolismo Sentir Que OS Alcoólicos em Recuperação estao sempre em Risco de “voltar para a garrafa.” Embora 42 meses de follow-up PODE Parecer adequada Para avaliar o Impacto do Nosso treatment, a Longo Prazo acompanhamento PODE Ser Mais desejável.

avaliações nutricionais Não Se destinavam a Ser diagnóstica. Por ESTA Razão, como Técnicas de avaliação were utilizados Para Obter Uma “impressão” do Estado nutricional de Clientes global. Os Clientes ERAM libras parágrafo prosseguirem avaliações nutricionais e bioquímicos completos Durante OU APOS o treatment. poderia Ser Realizado Mais extensas medições bioquímicas PARA O estado nutricional, um momento QUALQUÉR. Sem presunção-se Que hum NIVEL “baixo” Cabelo de zinco era indicativo de Deficiência de zinco. No entanto, observou-se that OS níveis de Elementos traço estavam Dentro OU fora da Faixa de normalidade parágrafo individuos Não-alcoólicas de semelhante Idade, sexo e Raça. Para Confirmar hum estado de Deficiência de vitamina Uma UO mineral, consideravelmente testículos Mais extensos térios de Ser concluída. NÃO era a intenção Deste Projeto Para fornecer os tais Dados, Como este Estudo E preliminar.

A Prevalência de hipoglicemia em Alcoólicos TEM SIDO Bem estabelecida. Por ISSO, NÃO era a intenção do Centro para Realizar testículos Mais ELABORADOS incorporando, Exemplo POR, Medidas de cortisona. Resultados OS fazer GTT base de fornecer Uma de Dados that PODEM Ser Compartilhados com o Cliente Para demonstrar Respostas bioquímicas possivelmente dementes. Tais Dados PODEM Ser hum motivador parágrafo Iniciar alterações de estilo de vida (Por Exemplo dietéticos). No entanto, como taxas de hipoglicemia relatadas Neste papel NÃO DEVE inferir como taxas de hipoglicemia parágrafo OUTRAS Populações de alcoólatras. Provas SEM de Função supra-Renais de Apoio, etc. NOSSOS GTTs fornecer Dados endocrinológicos limitados.

Discussão

Ambos Observação Profissional e Relatórios de Clientes mostraram Uma Alta Correlação Entre a Perda de Controle Sobre o Comportamento de beber, ea Presença Desses síntomas. Nossa CONCLUSÃO E that Estes síntomas São uma prova de that O Sistema Cérebro-corpo AINDA ESTÁ estressado e fóruns de Equilíbrio. E APENAS QUANDO como condições Físicas Que produzem Estes síntomas São atenuadas, Como No Estudo Presente, Que a Saúde e a Estabilidade do Cliente E alcançada.

Uma grande ênfase Neste Trabalho e em Uma Abordagem Mais holística. A si Só abstinência, POR, embora necessaria, Não foi mostrado Para Produzir o Bem-Estar Ou de Estabilidade. Vemos Uma clara Correlação Entre a Estabilidade e alteração Bem sucedida de estilo de vida. Os episódios breves de consumo descritos na Tabela 7 NÃO tinha o “hit-bottom-e-start-all-over” Impacto Associado com MUITOS “deslizes” relatados NA literatura. Acreditamos Sistemas Físicos dos Clientes ERAM estáveis ​​o Suficiente parágrafo Perder NÃO Completamente o Controle com o USO breve. ISSO PODE ter SIDO parcialmente devido à clientes “aplicar o Conhecimento Que tinham aprendido Durante como varias sessões de Aconselhamento. De Nossa Perspectiva that observamos E that a Degradação do estilo de vida precedem o retorno a beber.

Use descrições breves

  • Uma compulsão Fim de Semana Apos o Uso de Medicamentos Para a tosse com Alto Teor de Álcool.
  • Uso de Álcool, Uma Vez no dia de Natal.
  • Um copo de vinho no Passado. Nenhuma corrente uso.
  • Um dia USO deliberado. abstinência Contínua ágora.
  • Dois OSU breves, de volta na dieta e Nutrientes.
  • Dois OSU breves, Não Manter estilo de vida also.
  • Um Período de Três dias de beber em Ferias não México.
  • Um consumo de Um Dia de Um pouco de cerveja.
  • utilização de Um Dia deliberada “fora de tédio”.
  • USO breve, Uma Mais vez abstinentes e Sobre dieta e Nutrientes.
  • Dois Farras, tanto Apos um cafeína pesado e Uso de Açúcar.
  • Fui em hum binge DEPOIS de abandonar estilo de vida.

Voltou parágrafo a abstinência e diet / Nutrientes; “Se Sentir Bem agora”.

  • Um Curto Período de Cervejas ocasionais; dieta / estilo de vida Instável. Breve USO há Dois ano.
  • USO breve; sobriedade longa e utilização de Nutrientes / dieta.
  • Infecção candidiase severa POR algumas Semanas, Utilizado Açúcar em Excesso,
  • bebeu Durante este Período.

A Observação fundamentais that O Nosso Trabalho suporta E that Certas PESSOAS possuem vulnerabilidade Específica ou “química” suscetíveis Ao alcoolismo. Ao Lado dos “Gêmeos” e Estudos de Adoção, e Nossas Próprias OBSERVAÇÕES de Apoio Que o alcoolismo “é executado em FAMÍLIAS”, VIMOS Evidências de Que OS NOSSOS Clientes tiveram Reações Ao Álcool that NÃO estao PRESENTES na População los Geral. Uma série de OUTRAS Obras Indicar ISSO. Alguns incluem Variáveis ​​de Produção de acetaldeído em Diferentes Populações [52-54], Marcadores Biológicos Familiares [55-57], e Os Efeitos do etanol Sobre o Sistema opioide endógeno. [58, 59]

TEMOS observado Dois Tipos principais de Respostas. O Primeiro é “energizado”, com Alta Tolerância e Pequenos Efeitos posteriores (Ao Passo Que a maioria da População Torna-se Relaxado UO com sedativos). Isto É correlaciona-se com uma via de acetaldeído hidroisoquinolina. Research [58] continua a APOIAR ESTA hipótese (para Alguns Casos). Uma grande parte da DISCUSSÃO Atual (Não citados AQUI) Parece reconhecer este tipo de RESPOSTA e Padrão de consumo.

Nos vemos Uma Relação emergente Entre Dependência química e C. albicans Infecções crónicas that requer Mais Estudo. QUANDO ESTA perturbação proliferativa fúngica E sugerido, histórico do Cliente Revela Uma Variedade de síntomas e Queixas Relacionadas com o alcoolismo.

NÃO TEMOS Conhecimento de Outros Programas that enfatizam Uma Abordagem semelhante. Um resultado that esperamos, E a possibilidade de Interagir e compartilhar Resultados com Outros seguem Caminhos semelhantes de Investigação. Por Exemplo, em 1983 Guenther relatou hum Estudo nenhuma Hospital de Veteranos de Austin (TX), O Que Confirma As Nossas Impressões. Foi hum Estudo prospectivo Seguinte Alcoólicos em Recuperação that receberam hum Programa de Tratamento OU nutricional combinado Não-nutricional com um convencional psicoterapia. [60] A SEIS meses de follow-up informou that uma terapia Único grupo tinha Uma taxa de abstinência de 37,5% em relaçao a taxa de abstinência 81,3% do grupo nutricional. [60]

O Presente Estudo suporta a hipótese de that hum Programa enfatizando hum Ambulatório baseada bioquímica, não-droga, Modalidade de Tratamento Sera Mais Bem sucedido na Produção de sobriedade de Longo Prazo, fazer that OS Programas de Terapia SOMENTE COM convencionais de base. No entanto, Como Estes Resultados Preliminares São, São Necessários Estudos controlados testando ESSA Abordagem soluçar Controles Científicos Mais Rígidos.

Referências

  1. Gordis, E. Dorph, D. Sepe, V. Smith, H. Resultados do Tratamento do alcoolismo Entre 5578 patients em hum Programa de base de de hospitalar abrangente urbana: Aplicação de hum Sistema de Dados informatizado. Alcoholism: Clin Exp Res, 1981: 4; 509-13.
  2. Polich, J. M. Armor, D. J. Braiker, H. B. O Curso de Alcoholism: Quatro ano apos o treatment. A Rand Corporation: Santa Monica, CA, 169-70, 1980 janeiro
  3. Emrick, C. D. Uma Revisão do Tratamento orientada psicologicamente fazer alcoolismo; I. O Uso e como interrelações dos criterios de resultados e Comportamento de beber Apos o treatment. Quar I Stud Alc, 1963: 24; 280-288.
  4. Bruun, K. Resultado de Diferentes Tipos de Tratamento de alcoólatras. Quar I Stud Alc, 1963: 24; 280-288.
  5. Kish, G. B. Hermann, H. The Fort Meade Programa de Tratamento de alcoolismo. Quar J Stud Alc, 1971: 32; 628-635.
  6. Valliant, G. E. A natural História do alcoolismo. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1983, p. 284.
  7. Lemere F. O Que Acontece com OS Alcoólicos? Amer J Psych, 1953: 109; 674-74.
  8. Kendell, R. Staton, M. O destino de alcoólatras NÃO Tratados. Quar J Stud Alc de 1966: 7; 30-41.
  9. Edwards, G. Orford, J. Egert, S. et ai. Alcoolismo: Um Estudo Controlado fazer Tratamento e Aconselhamento. Quar J Stud Alc, 1971: 38; 1004-1031.
  10. Emrick, C. D. Uma Revisão do Tratamento orientada psicologicamente fazer alcoolismo. J Stud Alc, 1975: 36 (l); 88-107.
  11. Helzer, E. J. Robins, L. N. Taylor, J. R. et ai. Extensão do consumo moderado de Álcool a Longo Prazo Entre OS Alcoólicos descarregada A PARTIR instalações de Tratamento médico e psiquiátrico. New Eng J Med, 1985: 312; 1678-1682.
  12. Holden, C. Tratamento do alcoolismo e Eficaz? Ciência, 1987. 236; 20-22.
  13. Miller, W. R. Hester, R. K. Internação Alcoolismo Tratamento: Quem se beneficiá? Am Psychol. 1986: 41 (7); 794-805.
  14. Gerard, D. L. Saenger, G. Wile, R. O abstinentes alcoólica. Arch Gen Psy, 1962: 6; 83-95.
  15. Mossberg, condições Clínicas D. em alcoólatras Durante a abstinência a Longo Prazo. Instituto Karolinska, Departamento de Psiquiatria, Hospital St. Goran, Estocolmo, Suécia. Resumo em Alc Clin Exp Res. 1985: 9 (3); 250.
  16. De Soto, S. B. O’Donnell, W. Alfred, L. Lopes, C. A sintomatologia em alcoólatras em varias Fases de abstinência. Alc Clin Exp Res, 1985: 9 (6); 505-512.
  17. Wurtman, Efeitos comportamentais R. J. de Nutrientes. Lancet 1983: i; 1145-1147.
  18. Williams, R. Kalita, D. Médicos manual de Medicina Ortomolecular. New York, Pergamon, 1977.
  19. Cohen, E. Wurtman, R. acetilcolina cerebral: Controlo POR colina dietético. Ciência, 1976: 191; 501-62.
  20. Colby-Morley, E. neurotransmissores e Nutrição. J Orth Psy, 1977: 6 (4); 5.
  21. Williams, R. J. Alcoholism: Uma Abordagem nutricional. Austin: Univ. of Texas Press, 1959.
  22. Branchey, L. Shaw, S. Lieber, C. S. etanol prejudica o transporte de triptofano não Cérebro e déprime serotonina. Ciências da Vida, 1981: 29; 2751-2755.
  23. Roe, D. alcool ea dieta. AVI: Westport, CT. 1979, pp. 111-112.
  24. Gelenberg, A. J. tirosina Para o Tratamento da Depressão. Amer J Psy, 1980: 137; 622.
  25. Houumpa, Jr. A. M. Álcool e metabolismo de tiamina. Alc Clin Exp Res 1983: 7; 11-14.
  26. Lonsdale, D. Shamberger, transketolase celular R. J. Vermelho e Um indicador de Deficiência nutricional. Amer I Clin Nutr, 1980: 33; 205-211.
  27. Pfeiffer, C. Mental enviar um e Nutrientes Elementais. Keats: New Canaan, CT, 1980, pp 173-177 ..
  28. McClain, C. J. Su, L.C. A Deficiência de zinco na alcoólica: Uma Revisão. Alc Clin Exp Res 1983: 7 (1); 5-10.
  29. Goodhart, R. O papel dos Fatores nutricionais na causa, Prevenção e cura do alcoolismo. Amer I Clin Nutr 1957: 5; 612.
  30. Horrobin, D. importancia clínica dos Ácidos Gordos Essenciais, em cassete: Academia Americana de Médicos apresentadores Conferencia Anual 10º, Monrovia, CA. PVT 835, Tape 11, Vol. 2. 1983.
  31. Karolis, H. O alcoólatra alérgica. Ill Med 1. 1962: 119 (3); 1962.
  32. Randolph, T. Moss, R. de Uma Abordagem Alternativa Pará alergias. New York: Lippincott & Crowell, 1980, p. 122.
  33. Tintera, J. estabilização homeostase fazer alcoólico RECUPERADO atraves de terapia endócrina. J Ame, Ger, 1966: 14; 71.
  34. Poulos, J. Stoddard, D. Carron, K. alcoolismo, estresse e hipoglicemia. Davis: Santa Cruz, CA. 1976, p. 96.
  35. Hoffer, A. H. Osmond, H. Kelm, H. Hoffer-Osmond de teste de diagnóstico. Copyright A. Hoffer de 1967.
  36. Symptometer de Common alcoólica / hipoglicêmicos síntomas (Adaptado de Cheraskin, E.) Psychodietetics, New York: Stern and Day, 1974, pp 84-85 ..
  37. Truss, C. 0. O Diagnóstico em falta. (2614 Highland Ave, Birmingham, AL), 1983, pp. 117-128.
  38. Taylor, L. Candida albicans. P-P Fundação J, 1984: 9; 9.
  39. Trowbridge, J. P. Walker, M. A síndrome de levedura, Bantam: New York, 1986.
  40. Goodwin, D. W. Alcoolismo e hereditariedade. Arch Gen Psy, 1979: 36; 57-61.
  41. Goodwin, Problemas D. W. Álcool adotados criados Separados dos pais Biológicos. Arch Gen Psy, 1973: 28; 238-243.
  42. Cloninger, C. R. Bohman, M. Sigvardsson, S. Herança de abuso de Alcool: Cruz promovendo analyses de Homens adotadas. Arch Gen Psy, 1981: 38; 861-868.
  43. Cadoret, R. J. Cain, C. A. Frove, W. M. Desenvolvimento de alcoolismo em adotados levantou Além de Parentes Biológicos alcoólicas. Arch Gen Psy, 1980, 37; 561-563.
  44. Costello, R. M. Parsons-Manders, P, Schneider, S. alcoólica Mortalidade: a 12-year follow-up. Am J Drogas Alc Abuso de 1978: 5; 199-210.
  45. Nicholls, P, Edwards, G. Kyle, internados EM E. Alcoólicos Quatro hospitais na Inglaterra. Quar J Stud Alc, 1974: 35; 841-855.
  46. Thorarinsson, A. A Mortalidade Entre Homens Alcoólicos na Islândia, 1951-1974. J Stud Alc de 1979: 40 (7); 704-718.
  47. Schmidt, W. De Lint, J. Experiências Mortalidade dos patients Alcoólicos fazer sexo masculino e feminino. Quar J Stud Alc, 1969: 30; 112-119.
  48. De Lint, J. Levinson, T. A Mortalidade Entre OS PACIENTES Tratados PARA O alcoolismo: a 5 anos de follow-up. CMA J, 1975: 113; 385-387.
  49. Pell, S. D’Alonzo, C. A. Um Estudo de Mortalidade de cinco ano de alcoólatras. J Occup Med de 1973: 15 (2); 120-125.
  50. Tashiro, M. Lipscomb, W. R. Mortalidade Experiência de alcoólatras. Quar J Stud Alc, 1963: 24; 203-212.
  51. Berglund, M. suicidio sem alcoolismo. Arch Gen Psy, 1984: 41; 888-891.
  52. Thomas, M. Peters, T. J. Acetaldehyde: Seu papel na Toxicidade alcoólica e Dependência. Brit J Addict, 1981: 76; 375-378.
  53. Li, T. K. Bosron, W. Dafeldecker, W. Lange, L. Vallee, B. Isolamento de desidrogenase II-álcool de Fígado humano: e Um determinante do alcoolismo? Proc Natl Acad Sci, 1977: 74; 4378-4381.
  54. Thomas, M. Halsall, S. Peters, T. J. Papel do acetaldeído desidrogenase hepática não alcoolismo: Demonstração de Redução persistente da Atividade citosólica na abstenção patients. Lancet, 1982: ii; 1057-1059.
  55. Thacker, S. Veech, R. L. Vernon, A. Rutstein, D. Fatores Genéticos e bioquímicos Relevantes PARA O alcoolismo. Alc Clin Exp Res, 1984: 8 (4); 375-383.
  56. Schuckit, M. A. Rayses, Y. Etanol ingestão: Diferenças NA Concentração de acetaldeído no sangue em relaçao a alcoólatras e Controles. Ciência de 1979, 203; 54.
  57. Schuckit, M A. Marcadores Biológicos: Metabolismo e Reações agudas Ao alcool em Filhos de alcoólatras. Pharmac Biochem Behav, 1980: 13 (Suppl. 1); 9-16.
  58. Barbaccia, M. L. Reggiani, A. Spano, P. F. Trabucchi, a efeito M. O etanol em Função dopaminérgica: Modulação POR O Sistema de opióides endógenos. Pharmac Biochem Behav, 1980: 13 (Suppl. 1); 303-306.
  59. Sandler, M. Carter, S. B. Hunter, K. R. Stern, Alcalóides G. M. tetrahidroisoquinolina em metabólitos in vivo de L-Dopa em man.Nature de 1973: 241; 439-443.
  60. Guenther, R. O papel da terapia nutricional no Tratamento do alcoolismo. Int J Biosoc Res, 1983: 4 (1); 5-18.

Notas biográficas

Robert A. Parker, B.E.E. (Elect. Eng.), 1964, e B. S. Educação de 1966, da Universidade de Minnesota, Mpls, MN. M.Sc. Ciência Física de 1972, o Rensselaer Polytechnic Inst. Troy, Nova Iorque.

Joan Mathews-Larson, B. A. 1976 Serviços Humanos / Aconselhamento, Metropolitan State University. Minneapolis, MN; M.Sc. 1980 e Ph.D. 1985, a Escola de Nutrição da Universidade Donsbach, Huntington Beach, CA.

Primária da barra lateral

mensagens Relacionados

  • Efeitos a Longo Prazo do abuso de Álcool …

    QUANDO Alguém se Torna Dependente de Álcool, a Doença da adicção PODE causar vida de uma pessoa Para se tornar incontrolável. Alcoolismo normalmente causam Problemas com a vida Pessoal e Profissional, mas …

  • NIAAA Publications, síntomas de consumo de Álcool a Longo Prazo.

    Porque E that o consumo de Álcool ter such Efeitos profundos sem Pensamento, humor e Comportamento? E Por Que a Dependência de Álcool desenvolver e persistir em algumas Pessoas e NAO EM Outros? Cientistas OS estao …

  • Efeitos a Longo Prazo fez Com que meu Álcool …

    Álcool MD Início Álcool sexo e Idade Diferenças Álcool e Cigarros Álcool Dependência de Álcool e Depressão Álcool e Câncer da mama Álcool e do Sistema cardiovascular Causas de …

  • Prazo Longo Centros de Tratamento de Álcool …

    Long Term Tratamento PARA O alcoolismo proporciona hum alto índice de Sucesso MUITOS dos that estao lutando com o abuso de Álcool achar Que OS Centros de Tratamento de Álcool a Longo Prazo, oferecer Mais Eficaz e permanente …

  • How Long Term Rehab Álcool PODE …

    O Impacto de Impactos alcoolismo Alcoolismo Sofrimento do individuo em hum Número de Maneiras, mas Mais especificamente Sobre o Nível emocionais, mentais e Físicas. Em Alguns Casos, Existe also um …

  • Prazo Longo Álcool Centros de Reabilitação …

    Se Você OU Seu ente querido TEM lutado contra o alcoolismo, ágora E uma hora de Obter Ajuda. Tomar como Medidas Necessárias Para Transforma-lo UO a vida do Seu ente querido e Escolher o Melhor Programa de Recuperação para …