pneumonia pulmonar inferior, pulmão pneumonia.

pneumonia pulmonar inferior, pulmão pneumonia.

pneumonia pulmonar inferior, pulmão pneumonia.

Abstrato

Lobectomía E o Tratamento de ESCOLHA PARA O Cancro do pulmão de Células Não-Pequenas primário (NSCLC), from that o Paciente ESTÁ apto Para Ser submetido a Cirurgia, o tumor primário ESTÁ confinado a hum lóbulo e NÃO existem metástases distantes. Otras Indicações parágrafo lobectomía incluem Doença metastática (com Múltiplos nódulos em hum lobo UO de Localização centro da metástase), Tumores benignos localizados centralmente (hamartoma Como), Doenças Infecciosas extensas (Como abscesso pulmonar, bronquiectasia) e Anomalias congênitas (Como congênita cística malformação- CCAM adenomatoid). A lobectomía do lobo inferior Direito PARA O carcinoma de Células escamosas E apresentado em hum Paciente de 66 ano de Idade. Como NÃO foi comprovado o Envolvimento dos gânglios linfáticos (fase III-A-N2 ), Foi dada a quimioterapia de Indução consiste do em Quatro Ciclos de gencitabina e cisplatina. Controle CT-scan e FDG-PET scan mostrou Mais Nenhum Envolvimento do mediastino. ELE estava programado parágrafo Tratamento Cirúrgico. Atraves de Uma toracotomia poupadores Direita ântero-lateral muscular, lobectomía do lobo inferior com Uma linfadenectomía Feito foi mediastino. Alem de fibrilação atrial, o curso de pós-operatório transcorreu intercorrências SEM.

Palavras-chave

Técnica Cirúrgica

A Técnica Cirúrgica de lobectomía do lobo inferior, ê descrito em Vários Livros de Cirurgia torácica Geral [1, 2].

Avaliação pré-operatória

Avaliar ressecabilidade do NSCLC, encenação E OBRIGATÓRIA. ISSO inclui Rastreamento de metástases distantes (Cérebro, Ossos, supra-Renais, Fígado) e de comprometimento dos linfonodos do mediastino.

Teste de Função pulmonar, Além de Uma Avaliação Cardíaca completa, indica o Risco operatório do Procedimento. Para Recolher a taxa de Complicações respiratórias no pós-operatório, a fisioterapia E iniciada Pelo Menos hum OU Dois dias de antecedência.

CT-scan do tórax boa mostrou Uma RESPOSTA fazer tumor à quimioterapia de Indução (Foto 1). Espirometria mostrou Doença obstrutiva chronic leve pulmonar (CVF 3,09 litros, FEV1 2.11 litros, FEV1 / FVC 68%, DLCO 57%).

CT-scan do tórax Apos uma quimioterapia de Indução. Os Sinais da Doença pulmonar obstrutiva crónica São óbvias. O tumor não lobo Direito inferior Mostra Uma boa RESPOSTA à quimioterapia de Indução.

Posicionamento do Paciente

O Paciente ESTÁ soluço anestesia Geral, com intubação de dupla luz. E inserido hum cateter epidural PARA O Máximo Controle da dor no pós-operatório.

Posicionamento do Paciente em decúbito stable Esquerdo lateral.

toracotomia ântero-lateral

A incisão comeca Ao Nível da dobra inframamária, e estende-se lateralmente a hum Ponto de 2-3 cm Abaixo fazer da escápula Angulo inferior. Apos divisão dos Tecidos subcutâneos, Retalhos de Pelé São criados parágrafo facilitar o Encerramento nenhuma definitiva do Procedimento. O músculo grande dorsal E posteriormente recolhido (miopreservadora). Divisão do músculo serrátil anterior, hum pouco Acima de SUA Inserção. A sexta costela E identificado; Apos a Instalação da Ventilação pulmonar única, OS Músculos intercostais e pleura parietal São Divididos APENAS Acima da sexta costela (Video 1).

Vídeo 1: toracotomia ântero-lateral.

O músculo grande dorsal NÃO seccionado E, mas retraído posteriormente (miopreservadora).

Exploração da cavidade torácica

Um Fim de avaliar de ressecção do tumor, a cavidade torácica E inspeccionado. QUALQUÉR anormalidade fazer pericardio, parietal pleura, mediastino (gânglios linfáticos incluíndo OS fazer mediastino) OU diafragma E notado. Na Presença de fluido pleural, este ê aspirado parágrafo Exame citológico. O E tumor LOCALIZADO; a decisão de efectuar lobectomía OU pneumectomia Depende da Relação do tumor primário Pará como fissuras e Outras lóbulos. Em Caso de Dúvida, Exame de congelação DEVE Ser Feito.

Mobilização do pulmão

Se estiver Presente, aderências pleurais São cortados com eletrocautério. No Caso de aderências Muito densa parágrafo a pleura parietal OU nenhum Caso de Envolvimento tumoral, dissecção extrapleural E Necessário.

Mobilização do pulmão requer divisão do ligamento pulmonar (Video 2); uma veia pulmonar localizada inferior exposta Completamente (Video 2).

Vídeo 2: Mobilização do pulmão e Exposição da veia pulmonar inferior.

Apos uma incisão do ligamento pulmonar inferior, uma veia pulmonar E inferior dissecado.

Exposição dos vasos não hilo e na fissura

Vídeo 3: Exposição dos vasos não hilo.

Video 4: Divisão do fissura grande, posteriormente.

Para Obter Uma boa Visão Sobre os ramos da arteria pulmonar, a Maior fissura E Dividido com hum grampeador linear.

Vídeo 5: A dissecção da arteria pulmonar na fissura.

A arteria pulmonar e SEUS ramos São dissecados; não fazer de linfa interlobar (XI) E ressecado.

Divisão da Artéria segmentar Superiores

Apos a identificação das divisoes parágrafo arterial o lobo inferior (Artéria basilar e uma Artéria segmentar Superior), Estes Navios São Divididos (vídeos 5 e 6). Neste Paciente, uma Artéria fazer segmento superior, ESTÁ Dividido em Primeiro Lugar. O coto proximal E Fechado com Uma sutura de Monofilamento de corrida NÃO absorvível (polipropileno 5/0); Uma ligadura Adicional de polyfilament NÃO absorvível (Mersilene® 2/0 MMCTSLink 36) E colocado. O coto distai ESTÁ Ligado com o material de sutura polyfilament (Mersilene 2/0) OU seccionado com Uma sutura polyfilament (poliglactina 2/0) (6 vídeo).

Vídeo 6: Divisão da Artéria segmentar superior.

Uma Artéria fazer segmento PARA O vértice do lóbulo E inferior Grampos Dividido entre.

Divisão do fissura grande

Para permitir a ressecção do Lobo inferior, o grande fissura TEM TAMBÉM de Ser dividida anteriormente. Um grampeador E Utilizado parágrafo Realizar o corte transversal linear Entre a Baixa e Média lobo (Video 7 e Esquema 2).

Vídeo 7: Divisão do Grande fissura anterior.

A lobos fissura between Médio e inferior médio e dividida usando hum grampeador linear.

Divisão da veia pulmonar inferior

Consecutivamente, a veia pulmonar inferior E Grampos Dividido entre. O coto proximal E Fechado com Uma sutura absorvível Não-FUNCIONAMENTO fazer Monofilamento (polipropileno 4/0) e Uma ligadura Adicional, Como Pará OS ramos segmentares arterial (Video 9). Alguns dos Cirurgiões prefere utilizar hum Dispositivo de grampeamento vascular, em vez de sutura da arteria pulmonar e uma veia.

Vídeo 9: Divisão da veia pulmonar inferior.

Um pulmonar veia inferiores also E Grampos Dividido entre.

Seção do brônquio

Video 10: Seção do brônquio.

Com o Auxílio de hum agrafador, o brônquio E cortado.

linfadenectomía

Durante OS Vários Passos de uma dissecção do lobo inferior, como Diferentes Estações de nódulos linfáticos São biopsiados. Enquanto a Mobilização do lobo inferior (incisão do ligamento pulmonar inferior, dissecção da veia pulmonar inferior), linfonodo IX E amostrado. linfonodo VIII E ressecado Ao abrir uma posterior mediastinal pleura (Video 11). OS gânglios linfáticos interlobar (XI, e X Mais anteriormente não hilo) ressecados São nenhum momento da dissecção da arteria pulmonar na fissura (Vídeo 5). A linfadenectomía mediastinal realizada e No término fazer lobectomía (Video 12). Para este Efeito, um parietal Uma pleura incisão E Feita sem Direita paratraqueal local, Abaixo (para linfonodo IV) e superiores (para linfonodo II) o nivel de veia ázigos.

Video 11: Lymphadenectomy.

Ressecção dos linfonodos para-esofágico (VIII) Apos uma posterior incisão da pleura.

Vídeo 12: Lymphadenectomy – CONCLUSÃO.

Ambos linfonodos biopsiados São IV e II, apos uma incisão da pleura parietal Ao Nível da veia ázigos.

Conclusão do Procedimento

Vídeo 13: Conclusão do Procedimento.

vazamento de ar e excluido, APOS Ventilação do lobo Médio e superior. Fixação de Ambos os Lobos restantes è sempre Feito, parágrafo impedir a Rotação. Dois drenos torácicos foi deixada Dentro parágrafo removedor de coágulos sanguíneos residuais e Pará VerificAR se há vazamento de ar no pós-operatório.

Fechamento do tórax

Video 14: Encerramento.

DEPOIS de Aproximação das nervuras, uma incisão de e fechada em Camadas.

Resultados

A Cirurgia E o Tratamento de ESCOLHA PARA O Cancro do pulmão de Células Não-Pequenas primário (NSCLC), from that o Paciente ESTÁ apto Para Ser submetido a ressecção. Embora inicialmente pneumectomia foi considerado Como Sendo o Padrão de Ouro, foi mostrado Que É Uma lobectomía Tratamento oncologicamente válido se o tumor ESTÁ confinado a hum lóbulo.

Avaliar ressecabilidade do NSCLC, encenação completa E OBRIGATÓRIA. ISSO inclui Rastreamento de metástases distantes (Cérebro, Ossos, supra-Renais, Fígado) e de comprometimento dos linfonodos do mediastino.

Teste de Função pulmonar, Além de Uma Avaliação Cardíaca completa, indica o Risco operatório do Procedimento. Lung Difusão do monóxido de carbono Parece Ser hum dos MELHORES testículos EM Complicações respiratórias predizer [3, 4]. Apos uma quimioterapia de Indução Para uma Doença em Estágio III, testículos de Função pulmonar São ALTERADOS; Uma Maior taxa de complicação E de se Esperar [5]. Como Possíveis Complicações da lobectomía PODE Ser Dividido em Tres Categorias: pulmonar (atelectasia, pneumonia, empiema, escape aéreo prolongado), cardiovascular (arritmia, infarto fazer miocárdio, hemorragias) e Outros (Infecção da Ferida, …) [6, 7 ]. O Risco de Desenvolvimento de Uma fístula bronco, das UMA Complicações Mais temidas, ocorre em cerca de 0,5% DOS PACIENTES [8]. Como taxas de Mortalidade APOS lobectomía São cerca de 0,5%. morbidade e Mortalidade São MAIORES em patients com Idade superiores a 70 [9].

como taxas de Sobrevivência a Longo Prazo dependem do Estágio patológico da Doença. como taxas de Sobrevivência de cinco ano de e 57-67%, 39-55% e 25% do Pará como Fases I, II e III, respectively [10, 11]. Devido Ao Tratamento multimodalidade parágrafo Casos selecionados, hum Prognóstico Melhor PODE Ser oferecido [12].

Podemos concluir Que, em maos experientes, lobectomía parágrafo NSCLC Primária e Um Procedimento seguro com bons Resultados Sobre o Curso pós-operatório Imediato (morbidade, Mortalidade); Para se Obter Sobrevivência a Longo Prazo, uma Combinação com a quimioterapia (Tratamento multimodalidade), dependendo do Estágio clínico e patológico E OBRIGATÓRIA.

Referências

Jackson JW, Cooper DKC. roubar & Cirurgia de Smith operativo, quarta edição, Butterworths de 1986.

Pearson FG, Cirurgia Torácica, Churchill Livingstone, de 1995.

  1. Ferguson MK

Ferguson MK. Durkin AE. Uma Comparação dos Três Sistemas de pontuação parágrafo Prever Complicações DEPOIS de Uma grande ressecção pulmonar. Eur J Cardiothorac Surg 2003; 23. -42.

  1. Datta D

Avaliação Datta D. Lahiri B. pré-operatória de patients submetidos à Cirurgia de ressecção pulmonar. Chest 2004; 125. 1966 -1967.

  1. Leo F

Leo F. Solli P, Spaggiari L, Veronesi G, de Braud F, Leon ME, Função alterações Pastorino U. respiratórios Apos uma quimioterapia: um Risco Adicional de Complicações respiratórias pós-operatórias? Ann Thorac Surg 2004; 77. 260 -265.

  1. Okada M

Okada M. Nishio W, Sakamoto T, Uchino K, Yuki T, Nakagawa A, Tsubota N. Evolução dos Resultados Surgical parágrafo NSCLC: Tendências temporais em 1465 patients consecutivos submetidos a ressecção completa. Ann Thorac Surg 2004; 77. 1926 -1931.

  1. S Watanabe

S Watanabe. H Asamura, K Suzuki, R Tsuchiya. Resultados Recentes de Mortalidade pós-operatória de para ressecções cirúrgicas em Câncer de pulmão. Ann Thorac Surg 2004; 78. 999 -1003.

  1. Cerfolio RJ

Cerfolio RJ. A Incidência, etiologia e Prevenção de fístula broncopleural postresectional. Semin Thorac Cardiovasc Surg 2001; 13. 3 -7.

  1. Birim O

Birim O. Zuyendorp HM, Maat AP, Kappetein AP, Eijkemans MJ, Bogers AJ. ressecção pulmonar parágrafo NSCLC em patients Acima de 70: Mortalidade, morbidade e sobrevida tardia em Comparação com a Geral População em. Ann Thorac Surg 2003; 76. 1796 -1801.

Norton JA, Bollinger RR, Chang AE, Lowry SF, Mulvihill SJ, Passo de HI, Thompson RW. Cirurgia: a Ciência básica e Evidência clínica, Springer-Verlag, New York, 2001.

  1. Deslauriers J

Deslauriers J. Atual Tratamento Cirúrgico das NSCLC 2001. Eur Respir J Suppl 2002; 35. 61s -70s.

  1. Machtay M

Machtay M. Lee JH, Stevenson JP, Shrager JB, Algazy KM, Treat J, Kaiser LR. Dois regimes comumente Usados ​​neoadjuvante quimioradioterapia parágrafo localmente Avançado Estágio III NSCLC: Resultados a Longo Prazo e Associações com RESPOSTA patológica. J Thorac Cardiovasc Surg 2004; 127. 108 -113.

Martini N, Ginsberg RJ. Lobectomía. In: Pearson FG, Deslauriers J, Ginsberg RJ, Hiebert CA, McKneally MF, Urschel HC, editores. Cirurgia Torácica, New York: Churchill Livingstone, 1995: 851.

Arroz TW, Anatomia. In: Pearson FG, Deslauriers J, Ginsberg RJ, Hiebert CA, McKneally MF, Urschel HC, editores. Cirurgia Torácica, New York: Churchill Livingstone, 1995: 365.

Gerken MV, lobectomía. In: Scott-Conner C, Dawson DL, editores. operativo Anatomia, Filadélfia: JB Lippincott Company, 1993: 200.

mensagens Relacionados

  • síntomas OS fazer Cancro do pulmão PARTE das inferiores costas …

    dor lombar – Wikipédia, a enciclopédia Livre – dor lombar OU lombalgia / l ʌ m b eɪ ɡ oʊ / e Um Distúrbio Comum that ENVOLVE OS Músculos e Ossos das costas. Ela afeta cerca de 40% de …

  • Pulmão métastase fazer Câncer PARA O osso …

    Tira Bunyaviroch. MD 1 e R. Edward Coleman. MD 2 1 University School of Medicine Boston e Boston Medical Center, Boston, Massachusetts; e 2 Duke University Medical Center, Durham, North …

  • O Câncer de pulmão com Regressão Espontânea …

    Autores: Ryoko Ogawa Hiroko Watanabe Kai Yazaki Kazutaka Fujita Yoshiya Tsunoda Kensuke Nakazawa Shinsuke Homma Katsunori Kagohashi Hiroaki Satoh Nobuyuki Hizawa Filiações: Divisão de …

  • Cancro do pulmão, a dor do Câncer pulmonar peito.

    O Cancro do pulmão DESENVOLVE when como Células sem pulmão multiplicar de forma anormal, Formando Uma massa (tumor) Que Cresce destrutivamente e invadir TECIDOS Normais. O Câncer PoDE Começar em Partes Varias fazer pulmão such …

  • Pulmão Cirurgia redutora de volume de …

    P. O Que condições PODE Ser tratada com Cirurgia de Redução de pulmonar volume? A. LVRS E UMA Opção Para algumas PESSOAS COM enfisema sepultura, Uma Doença pulmonar chronic na qua OS alvéolos – ou Sacos de ar – de …

  • IPlab Lab 3 Lobar Pneumonia …

    Resumo clínico Este homem negro de 41 ano de Idade, levado foi hospitalar Ao em estado de coma. O Paciente, that tinha hum histórico de consumo abusivo de Álcool, foi Encontrado em coma na Manhã fazer …